O DILEMA DE ESCREVER LIVROS ERÓTICOS

14:26 Helena Lopes 0 Comments

Não é fácil falar sobre este assunto em particular, mesmo quando centenas de pessoas já leram o que foi escrito em livros e, parcialmente, fazem parte de algumas experiências aleatórias que você, sem nem mesmo perceber, acaba escrevendo e complementando a cena; deixando-a mais viva, até.
Escrever erotica foi e é um grande desafio. Aqueles que esnobam da arte são ignorantes, pois é tão difícil quando escrever uma complexa cena policial e etc.
Sexo faz parte da vida, certo?
E no meu caso, como escritora de três livros eróticos publicados virtualmente, isso é o que acredito.
Eu escrevo sobre amores, paixões e evolvimentos impossíveis. Sexo vai entrar nesse casarão de palavras independentemente de querer ou não.
Grande parte do significado da palavra de amar (não toda), e não digo apenas hoje em dia, está em um relação prazerosa carnal de amor mútua.
Sexo.
Não costumo comentar sobre o que escrevo, mas quando questionada, respondo o mais sincera possível. E às vezes essa sinceridade tende a ser recebida com estranhamento e/ou julgamentos.
É estranho saber que pensar, fazer e almejar sexo é uma coisa normal, mas para alguns, escrever pode vir a ser visto como algo realmente vil.
Eu acredito que ler sobre sexo é tão instrutivo quanto ler um manual de carros (ou qualquer manual).
Se você não ler o manual do carro, talvez nunca saiba como ligar o rádio. Algumas pessoas acabam encontrando o botão de ligar, eventualmente, mas outras irão viver a vida inteira com esse problema na cabeça.
Sexo é tão parecido quanto.
Algumas pessoas vão passar a vida inteira sem saber como aproveitá-lo, assim como o ato vem naturalmente para outras.
Mas não é só isso.
Ler sobre te faz mais liberto, mais livre sobre o assunto.
A vontade desperta, estimula outras coisas além.
Acho que o sexo explícito nos livros é arte. Sendo escrito de uma forma tímida, descarada ou apaixonada.
Escrever sobre exige uma quantidade imensa de imaginação e amor pela palavra escrita... Além da coragem em expor seu nome com o que ainda é visto com olhares estranhos.
Para cada escritor(a) que decidir escrever um livro erótico, meu conselho é: Crie algo seu, tome referências, experiências como base, desejos, ou use apenas sua fantasia. Mas não desista. Respire fundo e escreva, até decidir ser o bastante ou saber que ainda há muitas palavras por vir.
O dilema é o que mais corrói. O julgamento também.
Não deixe nenhum dos dois abater o que você mais gosta de fazer.
Só escreva.


Helena
xx

0 comentários: